quem sou

meu nome é Gabriel Juan, tenho 21 anos, moro em Belo Horizonte - MG e sou fotógrafo especialista em ensaios femininos há mais de três anos.

raízes e origens

nasci em Paraisópolis e cresci em Cachoeira de Minas, ambas cidadezinhas localizadas no interior do sul de Minas Gerais.

o convívio social primário longe da velocidade caótica das cidades grandes moldou em mim um olhar sensível, paciente e dedicado, que se manifesta constantemente no exercício do meu trabalho.

boletim todo azul

no ensino médio me formei como Técnico em Informática pelo IF Sul de Minas e atualmente curso minha graduação em Jornalismo na UFMG.

a maior parte do meu conhecimento em fotografia é autodidata, e procuro sempre incrementá-lo estudando pelo menos um pouquinho, todos os dias, sobre vários assuntos.

fora do trabalho

todo o tempo livre que eu puder ter eu faço questão de investir em viajar, acampar, escalar, trilhar, pedalar e caminhar.

esses rolês aventureiros são oportunidades perfeitas de admirar paisagens maravilhosas, me conectar com a natureza e, ao mesmo tempo, comigo mesmo.

e tem coisa melhor que viajar ouvindo música?

"acredito que música e fotografia são formas de expressão artística complementares e percebo que produzo fotos mais inspiradoras nas viagens e ensaios que faço quando estou acompanhado de uma boa trilha sonora."

visões e intenções

ter um registro de si mesmo já foi, no passado, um luxo que apenas os mais ricos e influentes poderiam ter, na forma de pinturas, esculturas, bordados e, mais tarde, fotografias.

hoje em dia a fotografia está cada vez mais democrática e popularizada: câmeras de excelente qualidade estão acessíveis em nossos smartphones.

Mona Lisa demorou 4 anos pra ser concluída e hoje em dia é avaliada em R$ 5,5 bilhões.

uma selfie demora segundos pra ser feita, praticamente a custo zero.

apesar desse avanço, a fotografia como prática artística, repleta de construções conceituais e subjetivas, infelizmente se manteve incompreendida e distante da vida da maioria das pessoas, impedindo-as de se expressarem através dela com profundidade.

portanto minha missão, como fotógrafo, é reverter essa dinâmica através do meu trabalho: respaldado por valores inegociáveis como...

representatividade

subjetividade

sensibilidade

expressividade

...quero tornar a fotografia artística um meio de expressão pessoal acessível e interessante para todas as pessoas, desconstruindo a ideia de arte como propriedade elitista.

influências

conheça abaixo algumas das pessoas que orientam e enriquecem minha forma de pensar o mundo, todos os dias: